Você Sabe Dizer ‘Não’?

Você consegue dizer Não?

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Autor:

Fátima Alves

De forma geral, no seu dia a dia, você consegue dizer não e ficar bem?

Se você é do tipo que quando diz um ‘não’ fica cheio de culpa e remorso, saiba que está entre a maioria. É muito raro encontrar pessoas que conseguem expressar para o outro essa palavrinha de três letras e ficar numa boa.

Isso porque, para dizer um ‘não’ é preciso ter autoconfiança e estar bem resolvido consigo. Não estamos nos referindo a um não autoritário, conveniente ou vingativo. Esses todos nós costumamos falar instintivamente, em razão de nossos processos emocionais. O que está em pauta aqui é o ‘não’ assertivo. Aquele que você diz sem carga emocional; aquele ‘não’ que é simplesmente uma negativa.

Exemplo de um ‘não’ assertivo: Um amigo lhe pede o carro emprestado, mas você não gosta de emprestar seu carro, então, você diz a ele: “Sinto muito, amigo, mas eu não gosto de emprestar o meu carro”. Esse é o ‘não’ assertivo, sem rodeios, sem carga, refletindo apenas o seu sentimento. Todo mundo tem o direito de não querer emprestar o carro. Mas você deve estar se perguntando agora: e se a pessoa ficar chateada comigo?

Esse é o problema. É exatamente por esse motivo que não conseguimos dizer não. Porque queremos sempre agradar o outro, em detrimento de nossos reais sentimentos e vontades. E fazemos isso por causa de nossos processos de carência, de querer se fazer de bonzinho, boazinha. Temos medo de não sermos mais ‘amados’ se magoarmos os outros. Essa forma de pensar e agir é equivocada.

Só conquistamos o respeito das pessoas quando expressamos nosso sentimento com sinceridade, e, nesse caso, se a pessoa ficar chateada é um problema que ela tem que resolver.

Mas, antes de dizer um não é importante refletir sobre a situação em questão, para evitar o erro de expressar um ‘não’ cheio de carga, de mágoas, de agressividade. É fundamental ter a certeza de estar dizendo o ‘não’ para uma situação específica e não para punir ou agredir alguém. Por isso a importância da autoconfiança. Ao dizer um ‘não’ para uma criança, por exemplo, deve-se ter em mente a razão desse não; e ao dizê-lo, deve ser mantido, sem voltar atrás. Se o motivo do ‘não’ estiver bem claro, não vai gerar culpa.

Exercitar um ‘não’ assertivo não é tão simples. Demanda algumas mudanças de comportamento e de revisão interna. Exige que tenhamos total contato com a realidade e com o aqui e agora. E exige também que busquemos o auto aperfeiçoamento para elevar nossa autoestima e autoconfiança. Esse aperfeiçoamento vai nos tornar pessoas melhores, mais bem resolvidas; e, ao alcançar esse nível, estaremos aptos a expressar nosso real sentimento, sem medos, dizendo simplesmente para o outro: sim ou não.

Outros conteúdos