Os Chacras e os Processos Emocionais

Os Chacras e os Processos Emocionais

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Autor:

Alessandra Ritondaro

A palavra chacra vem do sânscrito e significa roda. Os chacras captam, processam e exteriorizam energias. Temos sete chacras principais (básico, esplênico, umbilical, cardíaco, laríngeo, frontal e coronário). Os três chacras mais baixos – básico, esplênico e umbilical – são responsáveis pelos nossos processos emocionais, primitivos, reativos, subconscientes e pela busca ao passado. Os três chacras superiores são responsáveis pelos processos racionais, lógicos, conscientes e lidam com o momento presente e futuro (pré-cognições, por exemplo).

O chacra cardíaco é o chacra do sentimento, da continuidade e harmoniza todos os demais. Todos os chacras são responsáveis pelo nosso contato com o mundo exterior e manifestações. Os nossos sentidos são o resultado da absorção de energia por um ou mais chacras: visão, audição, paladar, olfato e tato.

Nós usamos todos os chacras o tempo todo, mas em cada situação, um deles prevalece: para pensar, usamos, por exemplo, o chacra frontal. Para falar, o chacra laríngeo. Quando brigamos com alguém, estamos ancorados no umbilical e se partimos para a agressão física, provavelmente já estamos no chacra básico.

Por outro lado, momentos de relaxamento e reflexão estimulam o funcionamento dos chacras cardíaco, frontal e coronário. Isso também acontece quando ouvimos uma música clássica, lemos uma poesia e procuramos entender e aceitar todas as pessoas. Para exercer o verdadeiro Amor, precisamos trabalhar com os chacras coronário e cardíaco e, assim, seremos capazes de aceitar as pessoas como elas realmente são.

A nossa aura é formada pela exteriorização da energia dos chacras, incluindo todos os nossos pensamentos e sentimentos. Por isso, devemos gerar sempre energias de bom padrão. O chacra cardíaco é o divisor entre os chacras inferiores e superiores e a velocidade dele é compatível tanto com os chacras inferiores quanto com os superiores. É exatamente por isso que ele possui a capacidade de administrar todos os chacras. Além disso, uma pessoa que trabalha com o chacra cardíaco consegue se relacionar bem com qualquer tipo de pessoa.

Cada chacra absorve e processa um padrão diferente de energia. Nascemos com a consciência ancorada no chacra básico e devemos trabalhar para subir um chacra a cada setênio, até chegar ao coronário. A maioria das pessoas não consegue sair dos três chacras mais baixos.

Em todos os relacionamentos ocorre troca de energia. E, nessa troca, podemos ganhar ou perder, mas dificilmente ficamos neutros. Portanto, devemos priorizar os chacras superiores e, assim, realizar trocas saudáveis. Dessa forma, estaremos trabalhando pela própria evolução, tendo ao nosso lado a companhia de amparadores espirituais.

Outros conteúdos