O Que É o Amor

O que é o amor_Artigo Alessandra Ritondaro

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Autor:

Alessandra Ritondaro

Amor demanda trabalho, tempo, dedicação e continuidade. Amar é demonstrar diariamente uma condição que está acima do chacra umbilical. O amor é um sentimento universalista e é gerado nos chacras cardíaco e coronário. A maior parte da população não vive o amor, vive a emoção.

Para amar as pessoas precisamos de muita competência e continuidade. Amar é ter um comportamento cosmoético de aceitação e respeito ao próximo. Só consegue amar todas as pessoas e todas as coisas quem trabalha com os chacras superiores e não sente raiva, mágoa, inveja, ciúme etc.

Assim como a evolução é uma prática constante, o amor também é. Devemos aceitar as pessoas com suas limitações e defeitos porque todos merecem respeito e consideração. A não aceitação se apresenta nas coisas mais simples do cotidiano. Quando queremos impor a nossa opinião, quando nos irritamos, quando gritamos com alguém. O ego é o nosso limite. Quem está bem resolvido internamente, não tem problemas de ego-carma. Devemos trabalhar para sair dos limites do próprio ego, do que é restritivo, e partir para o universal.

Quem ama não faz esforço, simplesmente ama. Aceita as pessoas exatamente como elas são e entende que todos merecem respeito, sem conveniências pessoais. Amar é muito mais do que apenas gostar, aprovar ou concordar com o que a pessoa faz.

O verdadeiro amor passa de uma vida para outra, levando a uma grande afinidade na outra vida. As paixões podem se tornar assédio de uma vida para outra, o amor não. O amor é incondicional. Não importa o que o outro é, você não julga. Percebe os defeitos e as dificuldades da pessoa, mas ressalta sempre as qualidades. Essa é a verdadeira prática do Amor no dia a dia.

Amor é continuidade. O amor é uma escolha e é a energia mais sutil que existe. É a expressão de total desapego do ser; é tudo o que podemos oferecer ao outro e só podemos oferecer o que está dentro da gente.

O amor nos move a tratar o outro com atenção, consideração e importância. Amor gera amor. É preciso se amar para amar o próximo. Quem cuida muito bem de si mesmo, pode ajudar o outro com mais eficiência. O amor é fundamental. Agir amando e respeitando a tudo e a todos é o resultado da própria evolução.

Como dizia Mahatma Gandhi: “A não violência não existe se apenas amamos aqueles que nos amam. Só há não violência quando amamos aqueles que nos odeiam. Sei como é difícil assumir essa grande lei do amor. Mas todas as coisas grandes e boas não são difíceis de realizar? O amor a quem nos odeia é o mais difícil de tudo. Mas até mesmo essa coisa tão difícil se torna fácil de realizar, se assim queremos. ”

Outros conteúdos