Maturidade Consciencial

Artigo_Maturidade Consciencial_Fatima Alves

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Autor:

Fátima Alves

Maturidade Consciencial é um estado de excelência da consciência humana. É a coerência entre idade cronológica, comportamento e evolução.

Todas as pessoas deveriam chegar à maturidade consciencial por volta dos 50 anos de idade se seguissem o percurso do desenvolvimento dos chacras. Mas o que costumamos ver com frequência são pessoas de 50 anos agindo como adolescentes, com emocionalismos e comportamentos infantis, estagnados no padrão dos chacras mais baixos.

Relacionamentos sem continuidade e respeito, levados por impulso ou instinto demonstram que a pessoa está ancorada nos três chacras baixos, com predomínio do chacra básico. Isso quer dizer que a idade consciential dessa pessoa é equivalente à adolescência. Possui comportamentos carentes, é manipuladora, controladora e conveniente.

Análise da idade consciencial humana

Primária

Corresponde a aproximadamente 80% da população da Terra. Pessoas com a consciência primária estão baseadas nos três chacras mais baixos e vivem na zona de sombra do discernimento. A manifestação dessa consciência é voltada para o comportamento emocional – totalmente direcionada para o ego. Essas pessoas têm relacionamentos emocionais dependentes e imaturos, necessitam da opinião dos outros para autoafirmação, possuem carências de todo tipo, entre outras características. Essa idade primária está dividida em três categorias ligadas ao chacra predominante: Sexochacra, Esplenicochacra e Umbilicochacra.

Média

Corresponde a 18% da população. É o ponto médio entre a idade primária e a avançada, ora agindo de forma coerente e exaltando o mentalsoma, ora caindo nas armadilhas do emocionalismo. Esse nível de consciência está migrando para o Cardiochacra, mas ainda trafega pelo chacra umbilical. Tem mais continuidade nas coisas que realiza e nos relacionamentos.

Avançada

1,9% da população. Fora da zona de sombra do discernimento, são livres do ego. Enxergam o mundo e as situações como elas são. Exercitam o Laringochacra. São práticos, não têm relacionamentos emocionais e sim sentimentais. Não tem conflitos internos. São assertivos e flexíveis. Não se alteram em situações tensas. Têm felicidade interior. Têm pensamento e sentimento voltados para a maxifraternidade. Estão fora do contexto da fé e crenças do salvacionismo. Não permanecem em lutos prolongados quando sofrem perdas.

Muito avançada

0,01% da população. Exercitam a maior parte do tempo o frontal e o coronário. Têm linearidade energética e consciência evolutiva. Têm o ego bem resolvido e estão livres dos conflitos internos. Têm relacionamentos lógicos e racionais. Sabem que cada um é responsável pelo que faz e pensa. São absolutamente tranquilas mesmo nas situações mais críticas. Têm total felicidade interior. Satisfazem-se com pouco e estão sempre disponíveis para ajudar.

Cumprindo a missão terrena

Quem tem maturidade consciencial sabe que a missão de cada um de nós que estamos encarnados é EVOLUIR.
Isso implica sair do grupo carma, caso esse esteja estagnado ou andando a passos de tartaruga na evolução. Podemos sentir carinho e afinidade por todos, mas não devemos ter apegos que nos façam ficar presos à Terra. Quem já resolveu os próprios processos emocionais está com o ego bem estruturado e resolvido, não precisa mais reencarnar. Isso quer dizer que a pessoa já resolveu todas as âncoras emocionais dos relacionamentos. Então ela poderá trabalhar em outras localidades no plano astral e continuar evoluindo. Ela vai ter outros tipos de experiência, outros aprendizados. A evolução é infinita.

Outros conteúdos